Inspirando beleza, sensualidade e alegria

Maria Cândida Sarmento e a história da Maria Bonita

No comando da Maria Bonita, marca que completa 35 anos, a estilista alagoana nunca se rendeu a regionalismos e ajudou a mudar a cara da moda brasileira.

A princípio, a história de Maria Cândida Sarmento pode soar repetitiva. Filha de dono de um engenho de açúcar, de tradicional família alagoana, sempre gostou de moda. “A vida toda demonstrou interesse pelo assunto. Era nato”, conta Malba Pimentel de Paiva, amiga e ex-sócia. Na infância, enquanto os colegas se divertiam em canaviais, ela fazia roupas para bonecas. E, na adolescência, já costurava para as amigas. Clichê? Pode ser. Mas o que viria depois mudaria a cara da moda brasileira.

Sem formação específica (ela começou a cursar uma faculdade de letras, mas não concluiu), Cândida costumava dizer que era uma operária da moda – adorava uma boa máquina de costura e era obcecada pelo corte perfeito. O que era hobby virou uma profissão em Maceió (ela é natural de São Luís do Quitunde, interior do estado), cidade na qual chegou a ter uma miniconfecção e uma butique, a Pretinha, abastecida com produtos do Sudeste. “Ela sempre vinha ao Rio para comprar roupas e tecidos”, diz a ex-sócia. De tanto viajar, acabou se mudando para a capital fluminense nos anos 1970 e, cinco anos depois, abriu a Maria Bonita, em parceria com Malba, sua fiel escudeira, responsável pela parte administrativa da empresa desde o início.

Apesar de ter nascido e crescido no Nordeste, Cândida nunca deixou o regionalismo ditar os rumos de seu trabalho. Nos anos 1980, apaixonou-se pela estética japonesa – era fã confessa de Yohji Yamamoto – e importou as linhas minimalistas para sua Maria Bonita. Não demorou para que seus blazeres impecáveis conquistassem as elegantes do Rio e de São Paulo. A primeira loja, em Ipanema, foi inaugurada em 1977, e a de São Paulo, na Oscar Freire, em 1981. Continue lendo…

Fonte: Moda Spot

Anúncios

3 Respostas

  1. max

    maria candida era um simbolo de elegancia

    9 de agosto de 2010 às 3:05

  2. max

    maria candia era uma mulher de estilo classico , o maximo do bom gosto , ´´e claro que sua grife está diferente , longe da elegancia de maria candida

    9 de agosto de 2010 às 3:08

  3. Carolina Ives Leon Durex

    Com tanta elegancia e sofisticação não é a toa que Cândida é um dos maiores ícone no mundo da moda.

    24 de setembro de 2010 às 0:45

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s